Menu
A+ A A-

Bebida alcoólica junto com remédio faz mal?


Renata Pires janeiro 4, 2013 Nenhum Comentário »

Conheça os riscos da consequência desta mistura

Quais riscos pode-se esperar em consequência de mistura de álcool e remédio?
Combinação de remédio e bebida pode ser fatal FOTO: DIVULGAÇÃO

Combinação de remédio e bebida pode ser fatal FOTO: DIVULGAÇÃO

As pessoas costumam dizer que não se deve ingerir álcool durante o uso de medicamentos porque o álcool diminui o efeito deles. Entretanto, essa é uma meia verdade; o álcool também pode aumentar os efeitos  dos remédios.

Vamos ver o que acontece, quando se faz essa mistura inconveniente de álcool e medicamentos: Se o álcool for ingerido junto com antidiabéticos, pode ocorrer hipoglicemia, ou seja, baixar severamente o nível de glicose no sangue (abaixo de 70 mg/dL). A consequência disso é falta de oxigênio no cérebro, que leva a desajustes nas funções cerebrais, causando desde um pequeno mal estar, coma ou mesmo morte.

Se a pessoa estiver usando sedativos, tranquilizantes ou anti-histamínicos (antialérgicos) e tomar bebida alcoólica, pode ter os efeitos de sonolência aumentados e sentir vertigens. Se for ingerido álcool junto com antidepressivos, estes poderão ter seus efeitos reduzidos, além de ocorrer um aumento da pressão sanguínea.

O efeito dos cardiovasculares também é reduzido se forem usados junto com bebidas alcoólicas. A pessoa poderá sentir vertigens ou desfalecimento. Podem ocorrer hemorragias ao se misturar álcool e anti-inflamatórios, antipiréticos ou analgésicos, além de perturbações gastrointestinais e úlceras.

Antibióticos também não combinam com bebida alcoólica. Podem ocorrer náuseas, vômitos dores de cabeça e convulsões. Medicamentos antiepiléticos têm seu efeito muito prejudicado quando o paciente faz uso de bebidas alcoólicas. Os ataques podem voltar a importunar com maior frequência. Associações de medicamentos e bebidas alcoólicas podem levar a efeitos graves, inclusive à morte. Procure não beber se estiver fazendo algum tipo de tratamento, use o bom senso. Você usa medicamentos para curar os males. Não tem cabimento fazer misturas que você sabe que são prejudiciais à sua saúde. Termine o tratamento e só então tome seus aperitivos ou aquela cervejinha gelada.

Alguns exemplos dos malefícios causados

Antibióticos: o álcool diminui o seu efeito, podendo piorar a doença infecciosa que está sendo tratada.

Aspirina: aumenta o risco de gastrite e hemorragia no estômago.

Analgésico narcótico: potencializa os efeitos do álcool, produzindo sedação intensa, perda da coordenação motora e redução dos reflexos

Anti-inflamatórios: risco de hemorragia gástrica.

Anti-hipertensivos: o álcool reduz o efeito destes medicamentos, podendo ocorrer aumento de pressão arterial.

Antialérgicos: sonolência, dificuldade respiratória.

Anticoagulantes: maior risco de hemorragia interna ou trombose venosa.

Antidiabéticos: redução acentuada da taxa de açúcar no sangue – hipoglicemia, caracterizada por sonolência, suor frio, convulsão e coma, que deverá ser prontamente corrigida administrando-se o açúcar.

Antidepressivos com ação sedativa: o álcool aumenta o efeito sedativo, prejudicando a coordenação motora.

Cinarizina, utilizada no tratamento das vertigens: sonolência excessiva, falta de coordenação motora.

Diurético: junto com álcool aumenta a quantidade de urina, podendo levar à desidratação e perda de potássio. Lembrar que o álcool também é diurético.

Paracetamol (analgésico): maior risco de agressão ao fígado, podendo causar hepatite tóxica.

Tranquilizante (ansiolítico): o álcool potencializa os seus efeitos, podendo ocorrer sonolência, baixa da temperatura, irregularidade respiratória, coma, podendo levar à morte. Ambas as drogas deprimem o sistema nervoso central, reduzindo o nível de consciência.

Soníferos: ocorre sonolência profunda. Um exemplo é a técnica utilizada pelos assaltantes conhecida como “boa noite cinderela”, que consiste em oferecer à vítima uma bebida alcoólica ou não com sonífero, no sentido de provocar sono em poucos minutos e poder praticar o roubo.

Remédio para tratamento do alcoolismo: junto com o álcool provoca vômitos, sonolência, falta de ar e reação alérgica.

Causas em relação ao tipo de bebida:
Fermentada( cerveja, vinho)  ou destilada ( cachaça, vodca, e uísque) que contém maior teor de álcool, da sensibilidade, sendo que as mulheres são mais sensíveis, do peso da pessoa, dos remédios misturados e dos alimentos consumidos,  os efeitos são mais evidentes.

Inicialmente determina uma sensação de euforia e de alegria, seguido de sonolência, fala arrastada, falta de coordenação motora, alterações da marcha, redução dos reflexos, caracterizando o estado do alcoolismo agudo ou embriaguez . Poderá ocorrer ainda redução de temperatura do corpo, pele fria, respiração lenta, estado de coma e alterações do comportamento.

Deixe um comentário

Abaixo, você poderá enviar uma pergunta para o anunciante ou lojista detentor dos direitos de comercialização deste produto.

IguBR

Alex Wichoski é jornalista por opção, formado em Turismo, onde trabalhou desde seus 15 anos no setor de hotelaria, sempre na cidade de Foz do Iguaçu. Atualmente é professos do Gerar, já escreveu para a CBN Foz e F24, além de produção de conteúdo sob encomenda para área de turismo.

Log In or Sign Up

Esqueceu sua senha? / Esqueceu seu usuário?